Isolamento social na pandemia

Em tempos de isolamento social imposto pela pandemia do vírus SARS-CoV-2, causador da COVID-19, quem já conhecia o projeto deve estar se perguntando: o que pensam do isolamento social obrigatório?

Quem já conhece o projeto sabe que nós ‘brigamos’ contra o isolamento social prestando o serviço de apoio psicológico a pessoas que sofrem dessa condição. São muitos os pacientes que acabam afetados pelo isolamento, como você pode conferir neste artigo de antes da pandemia.

Nós somos totalmente favoráveis ao isolamento social por questões de saúde pública, para controlar a disseminação do vírus, inclusive incentivamos o uso de máscaras para qualquer saída necessária!

Foto por Anna Shvets em Pexels.com

Mas não é por isso que deixamos de nos preocupar com a saúde mental de todos que estão fazendo o isolamento, e sofrendo suas consequências.

A própria Organização Mundial de Saúde (OMS), em comunicado oficial, reconheceu que a pandemia gera grande estresse, e aconselha que as pessoas procurem evitar entrar em contato com notícias alarmistas que provoquem sentimentos de ansiedade ou aflição, de forma a diminuir os impactos negativos para a saúde mental. A OMS aconselha:

Que as pessoas procurem informações que sirvam sobretudo para tomar medidas práticas para preparar seus planos e proteger a si mesmo e a seus entes queridos. Que as pessoas procurem atualizações de informações em horários específicos durante o dia, uma ou duas vezes. O repetido e quase constante fluxo de notícias sobre o surto epidêmico pode fazer com que qualquer um se sinta demasiadamente preocupado. Que as pessoas procurem obter os fatos. Que as pessoas coletem informações regularmente, no site da OMS e nas plataformas das autoridades locais de saúde, para ajudá-las a distinguir fatos de rumores.

Organização Mundial da Saúde – OMS

Claro que não são todos que se afetam com o isolamento social, para muitos é uma situação diferente, mas plenamente suportável e para alguns até mesmo divertida. Mas para quem se afeta com os problemas decorrentes do isolamento social as coisas podem não ser tão agradáveis.

As notícias estão longe de serem o maior problema no isolamento social em que vivemos. Diferentes pessoas podem sentir sintomas como medo, tristeza, sentimentos de opressão, raiva e desamparo. Alguns podem ter dificuldades para dormir ou se concentrar, executar tarefas mesmo que pareçam simples.

Foto por Andrea Piacquadio em Pexels.com

O medo de entrar em contato com outras pessoas, usar transporte público ou se aventurar pela cidade pode ser iminente, ocasião em que alguns poderão apresentar sintomas físicos.

Para adolescentes, perder a liberdade pode ser algo muito complicado. As relações domésticas também podem, em alguns casos, se abalarem pelo excesso de convivência entre parentes que antes não conviviam tanto assim.

O que você pode fazer para se ajudar durante o isolamento social pela pandemia?

Afaste-se da enxurrada de informações
Imponha um limite quanto a sua exposição a informações que podem alterar seu estado de humor, provocar medo e estresse. O excesso de informações pode causar picos de ansiedade constantes. Então evite ficar com a televisão ou rádio ligados o dia todo em noticiários, sobretudo os sensacionalistas.

Mas atenção: é muito importante que todos estejam bem informados, acompanhando as novidades e resoluções sobre a pandemia fornecidas por canais oficiais confiáveis como a Organização Mundial da Saúde ou o Ministério da Saúde. Uma dica é escolher um período do dia para acompanhar os noticiários em uma fonte de sua confiança.

Foto por Markus Spiske em Pexels.com

Cuidado com as falsas notícias. A repetição constante das informações falsas pode deixá-las aparentemente mais reais, além de deixar as pessoas em estado mental de constante alerta, perturbando seu estado normal e mexendo com sua capacidade de julgamento.

Tenha uma rotina
O isolamento social pode ser tedioso, mas a rotina vai ajudar a chegar ao fim do dia. Comece cuidando de seu sono, indo dormir e acordar em horários mais ou menos definidos, coma regularmente, faça as tarefas domésticas. Não se coloque muita pressão para fazer as coisas, dedique um tempo ao lazer.

Foto por Burst em Pexels.com

A organização da casa é responsabilidade de todos os moradores, então divida as tarefas para não sobrecarregar uma pessoa e ocasionar estresse. Respeite e divida espaços, aceite a rotina do outro e proponha acordos visando a prosperidade familiar.

Repare nas coisas que fazem você se sentir bem
Tenha uma dieta saudável e que ajuda em sua imunidade, mantenha-se em atividade, deixando o sedentarismo de lado e fazendo exercícios físicos que podem naturalmente nos ajudar a nos sentir melhor. É necessário notar quais são as coisas que importam realmente para você e que lhe ajudam a melhorar sua saúde mental e tentar executá-las na medida do possível. Veja filmes, jogos, leia aquele livro que estava esperando na prateleira!

Foto por Andrea Piacquadio em Pexels.com

Escolha um projeto para executar. Não precisa ser nada extremamente trabalhoso, mas firmar um compromisso consigo para ocupar seu tempo e não ter aquela sensação de tempo perdido; ele ainda pode lhe gerar frutos no futuro.
Utilize a tecnologia para aprender e para se aproximar das pessoas, compartilhe seus sentimentos


Conecte-se ainda mais
Apesar do isolamento social você tem condições de estar presente, ainda que fisicamente distante, através da tecnologia: use-a para manter-se conectado com as pessoas com quem você se importa e se importam com você. Una-se aos seus familiares e amigos, promova conversas por meio de videochamadas ou mesmo mensagens de texto.

Foto por Pixabay em Pexels.com

Ajude o próximo, aprimore sua empatia
O momento pede olhar e cuidado com o outro. Seu vizinho, amigo, parente; idosos, portadores de deficiências e grávidas precisam ter prioridades. Se sozinhos, podem precisar de uma ajuda extra com o isolamento social.
Participe de projetos sociais se for possível para você, ajudando o próximo a se sentir seguro, provendo o sentimento de esperança a todos.

Foto por lalesh aldarwish em Pexels.com


Se não for o suficiente, procure apoio psicológico
A terapia é um rumo em diferentes momentos de nossas vidas e neste momento de pandemia não poderia ser diferente. Um profissional especializado pode ser essencial para ajudar você ou um ente querido a lidar com as situações causadas pelo isolamento social.

Foto por Andrea Piacquadio em Pexels.com

Você pode agendar uma consulta on-line em nosso projeto agora mesmo: